mensagem ao leitor

Obrigado por sua visita

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Governo lança edital para contratação de professores para educação indígena e educação prisional

O Governo do Maranhão divulgou, nesta sexta-feira (16), editais de processos seletivos simplificados para contratação temporária de professores indígenas Awá Guajá e Ka’apo, para atuarem na Educação Básica, nos municípios de Bom Jardim/URE Santa Inês e Centro do Guilherme, Centro Novo do Maranhão e Santa Luzia do Paruá/URE Zé Doca e para professores para atuarem na Educação Básica, nos cursos do Ensino Fundamental e Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos, nas Unidades Prisionais e em cumprimento de Medidas Socioeducativas. Ao todo, estão sendo disponibilizadas 21 vagas para professores indígenas da etnia Awá Guajá e/ou Ka’apor, e 154 vagas para professores de Educação Básica.
As inscrições serão gratuitas e devem ser realizadas a partir das 0h de terça-feira (20) até às 23h59 do dia 23 (sexta-feira), exclusivamente pelo endereço eletrônico da Secretaria de Estado da Educação (http://www.educacao.ma.gov.br/seletivos-2018/).
O candidato deverá preencher a ficha de inscrição, disponibilizada no portal da Seduc, e entregá-la junto com os documentos e títulos, no período de 20 a 26 de fevereiro, das 13h às 19h, conforme endereços indicados no edital do seletivo, também disponível em www.educacao.ma.gov.br.
O processo seletivo para professores da educação indígena será composto de avaliação de experiência profissional docente, comprovada por documento emitido pelo responsável pela escola indígena e atestado pelo gestor das URE’s de Santa Inês e/ou Zé Doca, conforme município pleiteado pelo candidato, em etapa única e não haverá pagamento de taxa de inscrição. Os candidatos aprovados, dentro do limite de vagas, serão contratados pela Seduc em regime de 20 horas de trabalho semanais.
Já o processo seletivo para professores da educação prisional será realizado em etapa única e será composto de avaliação curricular de títulos e experiência profissional docente na Educação de Jovens e Adultos e no Sistema Prisional e/ou de Medidas Socioeducativas. Os aprovados, dentro do limite de vagas, serão contratados pela Seduc, também, em regime de 20 horas de trabalho semanais.
A divulgação do resultado parcial dos seletivo está prevista para o dia 14 de março. Já a homologação do resultado final para professores da educação indígena esta prevista no dia 22 de março, e para professores da educação prisional, para o dia 23 de março de 2018.
A Seduc informa, ainda, que o processo seletivo ocorre sem prejuízos ao concurso público já previsto para este ano.
Confira mais informações acessando aqui: http://www.educacao.ma.gov.br/seletivos-2018/

http://www.educacao.ma.gov.br/governo-lanca-edital-para-contratacao-de-professores-para-educacao-indigena-e-educacao-prisional/

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Gestores escolares participam de formação sobre mapeamento funcional

A Unidade Regional de Educação de Zé Doca realizou no ultimo dia 06, uma reunião estratégica com teor formativo com os gestores escolares sob sua jurisdição, a pauta foi mapeamento funcional, uma ação da SEDUC em todo o estado. Após a formação os gestores escolares terão até ao dia 23/02 para realizar o mapeamento, todos os servidores ativos deverão ser lotados. A reunião contou com a presença de gestores dos 18 municípios da regional, que ouviram atentamente as diretrizes repassadas pelo técnico das Supervisão de Normas e Ensino, Marcio Olanda e Amélia Belesa, técnica responsável pelo mapeamento na URE. A mudança louvável para esta versão do mapeamento é a figura do técnico da Unidade Regional frente ao acompanhamento e suporte aos gestores. 
Para a realização da ação, contamos com a parceria da UEMAZD na cessão do laboratório de informática.


Governo realiza formação continuada para gestores e professores dos Centros Educa Mais

Capacitar os profissionais que irão atuar nos 25 novos Centros de Educa Mais e, ao mesmo tempo, fortalecer o processo de implantação da política educacional de Tempo Integral da Rede Estadual de Ensino, iniciada no ano passado no Maranhão. Com estes objetivos, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), realiza, de 19 (segunda-feira) a 23 (sexta-feira), a formação continuada de Gestores e Professores da Educação Integrada.
No total, participam da formação cerca 550 cursistas dos 24 municípios do Estado onde serão implantados os novos Centros Educa Mais. A formação visa proporcionar aos gestores e professores da Educação em Tempo Integral maior conhecimento sobre as bases teóricas e metodológicas da Escola da Escolha.
A formação será conduzida pela Seduc, por intermédio do Programa de Educação Integral (Proein), em parceria com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE) e a UFMA.
Durante os cinco dias de formação serão trabalhados os modelos pedagógicos e de gestão da Escola em Tempo Integral, com abordagens de temas como: protagonismo juvenil; modelo de Escola da Escolha e a metodologia das escolas em tempo integral, nas quais as disciplinas são integradas e integradoras.
“O primeiro ano de implantação da educação integral, com os 11 Centros Educa Mais, foi de muito aprendizado, não só para os alunos, mas para toda a equipe Seduc envolvida nesse processo. Vimos o envolvimento de toda a comunidade escolar e os resultados já começaram a aparecer. Este ano não será diferente. Por isso queremos contar com a participação e o envolvimento dos nossos gestores, desde a formação, que é um momento muito importante neste processo de implantação e fortalecimento dos Centros”, destacou o secretário Felipe Camarão.
Educa Mais no Maranhão
Os Centros Educa Mais integram o Programa Escola Digna, que visa consolidar ações educativas objetivando a execução de políticas educacionais condizentes às orientações do Plano Nacional de Educação. E fazem parte da política educacional do Governo do Maranhão, que tem foco na melhoria da qualidade da educação no estado.
A política educacional de Tempo Integral da Rede Estadual, considerando o Projeto de Vida dos estudantes e o protagonismo juvenil como base da proposta pedagógica, fomenta um projeto educacional que visa a formação holística dos estudantes na perspectiva do atendimento em tempo integral. Essa metodologia foi implementada com sucesso em diversos centros escolares pelo país, inclusive no Maranhão, onde no ano passado foram implantados os primeiros Centros Educa Mais, em São Luís (6), São José de Ribamar (1), Alcântara (1), Santa Inês (1), São Bento (1) e Timon (1).
Este ano, os 25 novos Centros Educa Mais que estão sendo implantados são: C.E. Professora Dayse Galvão de Sousa, C.E. Dr João Bacelar Portela, C.E. Y Bacanga, C.E. Menino Jesus De Praga, C.E. Gonçalves Dias, C.E. Estefânia Rosa da Silva, C.E. João Francisco Lisboa (São Luís), C.E. Olindina Nunes Freire (Pedreiras), C.E. Lourenco Antônio Galletti (Açailândia), C.E. Aluísio Azevedo (Caxias), C.E. Tancredo de Almeida Neves (Imperatriz), C.E. Deputado Remy Soares (Presidente Dutra), C.E. Raimundo Araújo (Chapadinha), C.E. Dom Hamleto de Angelis (Viana), C.E. Itapecuru Mirim (Itapecuru Mirim), C.E. Domingos Vieira Filho (Paço do Lumiar), C.E. Padre Fabio Bertagnolli (Balsas), C.E. Sertão Maranhense (Carolina), C.E. Hermano Jose Leopoldino Filho (Coroatá), C.E. Dom Ungarelli (Pinheiro), C.E. Antônio Reinaldo Porto (Passagem Franca), C.E. Amaral Raposo (Grajaú), C.E. Josélia Almeida Ramos (São João dos Patos), C.E. Dom Marcelino de Milão (Barra do Corda) e C.E. Nelson Serejo de Carvalho Cema (Zé Doca).
Com os novos Centros Educa Mais, mais de 10 mil alunos da rede estadual de ensino serão beneficiados, este ano, com Educação Integral, no Maranhão.
Fonte: Seduc
16/02/2018

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

ARTIGO – Escola Digna e os frutos da mudança

O professor Diego Mahfouz Faria Lima está entre os 50 finalistas do Globo Teacher Praize – uma das mais importantes premiações de docentes do mundo – por comprovar que é possível reverter problemas como a violência e baixos indicadores com a qualificação do espaço escolar e a participação da comunidade na gestão da escola.
Semelhante ao professor Diego Lima, que encontrou na Escola Municipal Darcy Ribeiro, em São José do Rio Preto (SP), desmotivação, ciclos de violência no ambiente escolar e baixos indicadores, o governador Flávio Dino, também, recebeu da gestão anterior uma rede de ensino com sérios problemas de infraestrutura, ambientes escolares marcados por violência, alguns dominados pelas drogas, elevado número de evasão escolar e baixos índices educacionais.
A assertiva do professor paulista, que transformou sua escola com a recuperação dos espaços físicos e o engajamento dos estudantes e da comunidade escolar, é a mesma adotada pelo governador Flávio Dino, com o ‘Escola Digna’, que já se consolidou como o maior programa de investimentos educacionais da história do Maranhão e, quiçá, do país.
Em três anos de gestão, completados neste mês de janeiro, o governador Flávio Dino atingiu o número de 725 obras estruturantes, apenas no campo educacional, entre: reformas, construções, revitalizações e reconstrução de unidades escolares, em todas as regiões maranhenses. Para se ter ideia, só na rede estadual de ensino o percentual já ultrapassa 65% dos prédios escolares qualificados, mudando o cenário de precariedade e descaso encontrado pelo atual governo.
Tradicionais escolas, antes abandonadas e marcadas pelo vandalismo e violência, como Estefânia Rosa (bairro Turu), Bacelar Portela (Ivar Saldanha) e Almirante Tamandaré (Cohab), hoje, são prédios dignos e proporcionam à comunidade escolar ensino e aprendizagem com qualidade.
O fruto da ‘Escola Digna’ é a formação cidadã de seus estudantes, que se tornam capazes de protagonizar suas escolhas, a partir daquilo que apreendem no ambiente escolar qualificado. Foi o que o aconteceu, recentemente, com a estudante Ivânia Corrêa Madeira, do Centro de Ensino Euclides Ribeiro, município de Mirinzal, na Baixada Maranhense, aprovada para o curso de Medicina da Universidade Federal do Maranhão.
A escola dela foi completamente reformada e entregue pelo governador Flávio Dino. Com a reforma parada desde 2012, a melhoria do prédio do Euclides Ribeiro era um sonho antigo da comunidade escolar, realizado graças ao ‘Escola Digna’.
Da mesma forma, o estudante Thiago Fidélis Silva dos Santos, do Centro de Ensino Estado do Goiás (Imperatriz), aprovado em primeiro lugar no curso de Medicina, na Universidade de Brasília (UNB), e Paulo Sérgio de Oliveira Nascimento, de 17 anos, do Centro de Ensino Dr. Clarindo Santiago, em São Luís, reformada pelo governo, que obteve 980 pontos na redação do Enem 2017. Além de outros estudantes maranhenses que tiveram resultados exitosos em outras regiões do estado.
São esses frutos que motivam o governador Flávio Dino, que não tem medido esforços para mudar a realidade da educação no Maranhão, com ações e investimentos em todas as regiões do Estado, incluindo lugarejos mais distantes que, por anos a fio, foram esquecidos pelo poder público.
O Maranhão caminha hoje a passos largos rumo à educação de qualidade para todos. E o Escola Digna, comandado pelo governador Flávio Dino; é um vetor fundamental para garantir um futuro digno e justo ao povo do Maranhão.
Avante Educação!
Felipe Camarão
Professor
Secretário de Estado da Educação
Membro da Academia Ludovicense de Letras e Sócio do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão
04/02/2018
http://www.educacao.ma.gov.br/artigo-escola-digna-e-os-frutos-da-mudanca/